quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Braços abertos!



Número de estrangeiros em Portugal aumenta 82%

Num documento com sete páginas, o INE traça um retrato da população portuguesa, que continua a envelhecer apesar do aumento da imigração.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) também mostram um reforço da proporção de indivíduos vindos da América Central e do Sul, que passou de 15,5% em 2007 para 25,8% do total da população estrangeira residente em Portugal no ano passado.

Contudo, são os europeus e os cidadãos de origem africana que continuam a representar as maiores fatias, de 38,1% e 28,8%, respectivamente.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Julgamentos sumários


James Bain passou 35 anos preso na Florida, nos Estados Unidos, tendo sido agora declarado inocente, depois de um exame de ADN ter demonstrado que não foi ele que cometeu o crime. Diga-se ainda, que o exame ao seu ADN só agora foi feito - deferido por um tribunal de recurso - depois de múltiplos requerimentos seus ao longo de muitos anos, sempre indeferidos.

Tinha 19 anos em 1974, quando foi condenado a prisão perpétua por atentado violento ao pudor contra um menino de 9 anos, sequestro e roubo. Foi libertado com 54 anos.

Como poderá a sociedade compensar o tempo em que esteve preso?
O que sofreu! O que deixou de viver! Conseguimos nós imaginarmo-nos numa situação semelhante?

É por causa de exemplos destes que a sociedade não pode deixar de pugnar pelas garantias de defesa do arguido, e de defender a presunção da sua inocência até à sua absolvição ou condenação definitiva.

As condenações precipitadas, sejam em tribunal, sejam na comunicação social, serão sempre injustas e perigosas.
http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1450962&seccao=EUA%

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O nosso Natal


NATAL DE QUEM?

Mulheres atarefadas
Tratam do bacalhau,
Do peru, das rabanadas.
- Não esqueças o colorau,
O azeite e o bolo-rei!
- Está bem, eu sei!

- E as garrafas de vinho?
- Já vão a caminho!

- Oh mãe, estou pr'a ver
Que prendas vou ter.

Num qualquer lado,
Esquecido, abandonado,
O Deus-Menino
Murmura baixinho:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família
À volta da mesa.
Tilintam copos e talheres.
Crianças, homens e mulheres
Em eufórico ambiente.

Lá fora tão frio,
Cá dentro tão quente!
Algures esquecido,
Ouve-se Jesus dorido:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,
Admiram-se as prendas,
Aumentam os barulhos
Com mais oferendas.
Amontoam-se sacos e papeis
Sem regras nem leis.

E Cristo Menino
A fazer beicinho:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

O sono está a chegar.
Tantos restos por mesa e chão!
Cada um vai transportar
Bem-estar no coração.

E o Menino, quase a chorar:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Foi a festa do Meu Natal
E, do princípio ao fim,
Quem se lembrou de Mim?
Não tive tecto nem afecto!
Em tudo, tudo, eu medito
E pergunto no fechar da luz:
- Foi este o Natal de Jesus?!!!

(João Coelho dos Santos in Lágrima do Mar - 1996)
O meu mais belo poema de Natal

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Guerra e Paz


Advogados: Demissão em bloco dos membros da Comissão de Estágio e Formação após divergências com bastonário
Lisboa, 22 Dez (Lusa) - Os membros da Comissão Nacional de Estágio e Formação da Ordem dos Advogados demitiram-se hoje em bloco, alegando que os seus contributos foram "sistematicamente ignorados" pelo bastonário e pelo Conselho Geral, disse hoje à Lusa fonte da OA.
21:31 Terça-feira, 22 de Dez de 2009
Nem nesta quadra de Paz se atenua a guerra na Ordem e, se foi a totalidade dos membros da Comissão, lá vão mais onze (11).

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

contrato de união

A expressão de Jorge Miranda, no post anterior “um dos pressupostos do casamento é a filiação", fez-me lembrar uma discussão de teor semelhante (na altura, era o debate sobre a despenalização do aborto), que teve lugar há já alguns anos na Assembleia da República, e que terminou com um episódio da deputada/poeta, Natália Correia, a responder ao colega deputado João Morgado (que se opunha ao aborto, e já agora que era da terra deste blog, meu amigo e colega).

O episódio, ficou célebre, pelo teor sarcástico e humorista da resposta ter sido feito em verso:
Disse, o deputado João Morgado: «O acto sexual é para ter filhos»
Respondeu, a deputada Natália Correia:

Já que o coito - diz Morgado -
tem como fim cristalino,
preciso e imaculado
fazer menina ou menino;
e cada vez que o varão sexual
petisco manduca,
temos na procriação
prova de que houve truca-truca.

Sendo pai só de um rebento,
lógica é a conclusão
de que o viril instrumento
só usou - parca ração! -
Uma vez. E se a função
faz o órgão - diz o ditado-
consumada essa excepção,
ficou capado o Morgado.”

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Casamento - União de Facto - União de Direito - Matrimónio


Governo aprovou hoje a proposta de lei que legaliza o casamento homossexual. Submetida à Assembleia da República esta não deverá demorar a aprovar o diploma.

Porém, os Constitucionalistas já estão a sair a terreiro e a defender que o Presidente da República deve remetê-lo para o Tribunal Constitucional.
Jorge Miranda, continua peremptório: "O diploma será sempre inconstitucional", pois “os direitos fundamentais devem ser interpretados de acordo com a Declaração Universal dos Direitos do Homem (DUDH), que consagra o casamento entre pessoas de sexo diferente" e a nossa "Constituição define o casamento como uma união heterossexual, pois um dos pressupostos do casamento é a filiação".

Também sabemos que existem outras tantas opiniões em sentido diverso, do mesmo modo brandindo a lei, as convicções e os direitos.

Postos de lado os argumentos que os há para todos os gostos, pela minha parte, já nem sei se é o direito que serve o homem e como tal a dever ajustar-se aos seus anseios, ou se é o homem que serve o direito e portanto obrigado a submeter-se aos seus ditames. Porventura, nem uma coisa nem a outra. Uma coisa eu aprendi, nos contratos o que vale é o seu conteúdo, os direitos e obrigações que estabelece, independentemente da denominação, que nem sequer vincula os tribunais.
Red Bull Air Race passa do Porto para Lisboa

Nos últimos 3 anos a corrida dos aviões tornou-se um evento emblemático do Porto. Realizado sobre o Douro, arrastou milhares pessoas, uns dizem 3 milhões, para as suas margens concentrados nas ribeiras do lado Gaia e Porto.

Nos próximos três, passará a realizar-se sobre o rio Tejo, entre a Torre de Belém e a Ponte 25 de Abril, segundo acordo assinado pelo Turismo de Lisboa, em representação dos municípios de Lisboa e Oeiras.

No Norte, os sinos quase tocaram a rebate e as reacções não se fizeram esperar:
- Rui Rio, secundado por Luís Filipe Menezes, respectivamente, presidente da Câmara do Porto e de Gaia criticaram a mudança, e convergindo que "qualquer coisa que tem sucesso em algum ponto do país acaba por ir para Lisboa (…) O que está errado é o financiamento público e parapúblico que isto acarreta".

- Rui Moreira e Nuno Camilo, presidentes das Associações Comerciais representativas dos comerciantes e empresários do Porto, lamentaram o sucedido pois o evento era gerador de receitas para as duas cidades.

Teremos de nos questionar:
Será que a Red Bull Air Race World Championship se cansou do Porto?
Ou,
Será birra, uns a quererem o brinquedo dos outros?

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

«Podemos acreditar que vai haver guerra mas continuamos a lutar pela paz», proclamou Obama.



O novíssimo Nobel da Paz, Barack Obama, presidente dos Estados Unidos ao receber o galardão, foi humilde ao afirmar que muitas outras pessoas seriam mais merecedoras do prémio do que ele próprio. Admitiu inclusive, não merecer estar ao lado de personalidades como Martin Luther King e Nelson Mandela na galeria dos laureados com o Nobel.

Embora cada um no seu tempo e desempenho, também eu reconheço que foram diferentes os contributos para a Paz.
Mas, como já aqui disse noutro post quando foi divulgada a atribuição do prémio, poderá ser entendido como a aposta no reatamento do poder diplomático e o início de uma nova esperança na paz mundial, tão corporizada no slogan por ele utilizada, YES WE CAN!

O próprio presidente do Comité Nobel, Thorbjoern Jagland, sentiu-se na necessidade de justificar a atribuição do Nobel a Obama, dizendo :
"Muitos são os que acham que o Prémio chega muito cedo, mas a história está cheia de ocasiões perdidas
”e seria a hora de apoiar as ideias do premiado.

Por ironia do destino, Obama recebe agora o Nobel da Paz quando há apenas 9 dias enviou mais 30.000 soldados americanos para o Afeganistão.
Obama não se furtou a esses e outros problemas e disse: "As ferramentas da guerra têm um papel na preservação da paz”, continuando um discurso sobre o tipo de paz que se quer e os custos e riscos que se correm para a ter.
É um discurso frontal e por isso mesmo susceptível de polémica e de múltiplas opiniões diferentes. Veremos os desenvolvimentos.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

negócios usurários

Em Portugal o negócio usurário começa nos 33% !

O Banco de Portugal fez uma avaliação técnica do crédito ao consumo e definiu máximos. Sem surpresas, concluiu-se que os portugueses pagam juros altos.

O BdP definiu que a partir de Janeiro, nenhum banco poderá cobrar mais que 8% num crédito em ALD para um automóvel novo, não mais de 19,6% se pedir um crédito para férias ou 32,8% no seu cartão de crédito ou em qualquer empréstimo directo, por telefone ou Internet.

Quem ultrapassar os máximos agora fixados nos novos contratos, incorre no crime de usura.

Em estudo comparado, constata-se pelos valores divulgados que "os portugueses pagam juros no crédito ao consumo três a quatro pontos acima da média de outros países europeus".
A título de exemplo, em França a taxa máxima dos cartões, no terceiro trimestre de 2009, estava fixada em 21,4%, enquanto em Portugal será 32,8% em Janeiro.
Diário de Notícias, 09/12/2009

sábado, 5 de dezembro de 2009

Guerra na OA


Há muito que se desenterraram os machados de guerra na Ordem dos Advogados

Pela 2ª vez o Conselho Geral e o bastonário viram a sua proposta de orçamento rejeitada em assembleia geral.

Marinho Pinto foi o Bastonário que mais votos obteve na história da Ordem, na sua eleição, mas é também o mais contestado de sempre, sobretudo pelos opositores que não desistem de tentar que abandone o lugar.

Ao bastonário, para além da sua personalidade muito incisiva, criticada pelos que o apelidam de truculento e de "comprar guerras" desnecessárias com as magistraturas, acusam-no ainda de procurar protagonismos individuais e de centralismo ao tentar manietar a Ordem esvaziando os Concelhos Distritais.

A tudo, não é estranho que o senhor bastonário da OA se tenha atribuído a verba de 6 mil euros por mês para exercer o cargo, em regime de exclusividade e, quando sair da liderança da OA tenha direito a um subsídio de reintegração de 40 mil euros.

A luta intestina que envergonha a classe e em nada dignifica os protagonistas desta batalha, vai deixando a sensação de colocar em confronto a força dos grandes escritórios de advogados, polida e esperada, à força dos pequenos, da advocacia isolada, que se vão distanciando da forma demasiado acutilante e de improviso utilizada.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Relatividade ou preconceito


Vida dividida entre a verdadeira e a errada


Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheco, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que nao senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.

Fernando Pessoa

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Os guardiões da Constituição


O Tribunal Constitucional

Manda o artigo 222º da Constituição da República Portuguesa que o Tribunal Constitucional é composto por treze juízes. Dez eleitos pela Assembleia da República – por maioria qualificada de dois terços dos Deputados presentes – e os três restantes cooptados pelos juízes eleitos, também por maioria qualificada.
Dos treze juízes, pelo menos seis têm de ser escolhidos de entre juízes dos demais tribunais, e os restantes são escolhidos de entre juristas.

Amiúde, ouvem-se vozes questionando a imparcialidade dos juízes e dos tribunais. E este Tribunal será, porventura, um deles, senão mesmo o maior alvo daquela crítica, atenta a escolha essencialmente política dos seus membros e devido ao facto de não serem todos juízes de carreira. Mas também é verdade que decidem como nenhum outro sobre aspectos políticos ao decidir da conformidade ou não à constituição dos assuntos que lhe são submetidos por vezes fracturantes na sociedade e a inovam, como foi a recente decisão sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A sua função é, por isso, muito lata, transcendendo a dos tribunais "comuns".

Isto vem a propósito da entrevista da mais recente candidata a juíza do TC, "Catarina Sarmento e Castro defendeu a sua candidatura no parlamento, prometendo que irá decidir "com isenção, integridade, dignidade, competência técnica e intransigência perante os direitos fundamentais" para "confirmar o TC como o referencial de estabilidade que tem sido".
"Todos nós temos as nossas sensibilidades, mundividências, ideologias e culturas, mas isso não é uma questão de alinhamento partidário. E os juízes devem saber deixá-las à porta". "Sei bem que as opções políticas são papel do legislador somente", assegurou, para explanar: "O papel do TC não é legislar, não é censurar políticas legislativas, não é reescrever as normas, mas limitar-se a (...) fazer honrar a Constituição".

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Uma questão de comida

Leio diariamente os artigos de opinião de António Maria Pina, na última página do JN, pela sua pequena extensão não maçam e têm sempre uma dose de crítica mordaz e humor sublimado. O de hoje vai na mesma linha despertando um sorriso à medida que se lê. Reproduzo parte dele:

"Corrupção e gastronomia
30 Novembro 2009

Depois de ... ter falado aos jornalistas à porta do Tribunal de Instrução Criminal de Aveiro, onde prestou depoimento durante oito horas, ficou a saber-se que o seu envolvimento no caso "Face Oculta" é apenas um infeliz equívoco e que, ao contrário do que resulta da investigação do MP e da PJ, não terá recebido 10 mil euros do principal arguido mas, sim, uns robalos (a princípio ainda se percebeu "roubá-los", mas tratava-se, na realidade, de inocentes robalos).
(...) A Justiça deixara de ser cega; não se imaginava é que ficara surda a ponto de confundir "10 mil robalos" com "10 mil euros".
Não é, aliás, a primeira vez que a Justiça confunde produtos alimentares com corrupção e tráfico de influências. Já no caso "Apito Dourado" onde, nas escutas, os arguidos falavam de fruta, a Justiça ouviu "prostituta".
Por este andar, não custa a crer que o caso "Furacão" se resuma (se não, veremos) a um cozido à portuguesa e o dos submarinos a uns peixinhos da horta.
E que descubramos todos com alívio que, afinal, não há corrupção em Portugal, come-se é bem."

domingo, 29 de novembro de 2009

Eça seduzido e sedutor

No dia 21 de Novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lamego, as nossas colaboradoras Cristina Bernardes e Isilda Afonso estiveram, mais uma vez, em destaque. Os amigos e todos os que gostam de literatura e, em especial, de Eça, acorreram e encheram o Salão para a apresentação pública da obra “Da Decadência à Regeneração – Jacinto e o Percurso de Auto-Descoberta em A Cidade e as Serras”, da autoria da Dra. Cristina Bernardes.

A apresentação esteve a cargo das Drªs Isilda Afonso e Lídia Valadares, e foi abrilhantada ainda com uma dramatização de um excerto, cheio de humor, da obra analisada, por alunos do Colégio.

No final, o público estava rendido à excelência da obra e mostrava-se deleitado pela eloquência da apresentação.
.
Aos costumes, diz-se quanto à edição, que ela foi da responsabilidade da Papiro Editora e, quanto à autora, que para além de nossa colaboradora neste Blog, é responsavel pelos blogs Floresta das Leituras e Fascínio das Palavras e, é Directora Pedagógica do Colégio da Imaculada Conceição, onde desempenha funções de administração e gestão pedagógica do ensino e da qualidade cultural.
Muitas vezes para o bem outras tantas para o mal, vimos tantos opinar sobre tudo como se tudo pudessem saber. Seja sobre a educação e os seus intrumentos regulamentadores, seja sobre a aplicação da justiça e as leis, seja sobre a economia e a forma de ultrapassar as crises ou os constrangimentos orçamentais, etc., etc. Pior, ainda, é que para tudo, assertivamente, não vislumbram acerto na opinião do interlocutor. Por isso, dizia Aquilino:

“o português resigna-se a tudo menos a não ter opinião ou a não deitar a sua sentença”
(Aquilino Ribeiro, Aldeia – Terra, Gente e Bichos, Bertrand Ed., 1995, p. 90).

1/4 do Planeta continua às escuras


One-Quarter of World's Population Lacks Electricity


130 anos depois da invenção da luz eléctrica, a população mundial continua às escuras.
79% da população, num total estimado de cerca de 1,5 biliões de pessoas, do chamado Terceiro Mundo (as 50 nações mais pobres) não têm acesso à electricidade.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Watergate

É com grande dignidade, sentido de responsabilidade e risco profissional que alguns não se calam nem conformam com um sistema que a corrupção e o medo incapacitam e tolhem.

Mark Felt, durante a guerra do Vietname serviu no Conselho Nacional de Segurança de Henry Kissinger. Acabou como Director-Adjunto do equivalente americano da nossa Polícia Judicária. Durante vários anos foi Director Geral interino do FBI.

Denunciou a corrupção no seio da presidência de Nixon, que ficou conhecida por Watergate e levou à demissão do presidente.

Diz-se que, por um lado, o seu curriculum lhe deveria ter imposto, institivamente, a orientação clássica de manter reserva total sobre assuntos de Estado mas, por outro, que para ele militar e jurista, acabar com o saque sobre a democracia americana seria uma questão de honra.

Para conseguir a denúncia, depois de ter constatado que todo aparelho de Estado e grande parte da comunicação social tinha sido capturada na teia tecida pela Casa Branca, com as provas a serem destruidas, Felt orientou em segredo provas para os repórteres do Washington Post, fazendo delegar poderes na opinião pública e, com isso, forçar os outros Órgãos e Instituições do Estado a cumprirem as suas obrigações constituicionais.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Segredo de justiça



Somos um país em que as elites sociais, políticas e económicas estão habituadas à impunidade que lhes é, em parte, garantida pelas reconhecidas debilidades da nossa investigação criminal e pela pusilanimidade dos nossos magistrados.”
Boaventura de Sousa Santos
O Segredo de Justiça, Publicado na Visão em 6 de Março de 2003

Embora seja um assunto de teor mais específico, a que tento fugir, nos post que aqui deixo, desta vez e pela sua actualidade não resisto a fazer, nem que seja para mim mesmo, a reflexão necessária, resumindo a lei.

O Código de Processo Penal,
ANTES DE 2007
Artº 86º
(Publicidade do processo e segredo de justiça)
1. O processo penal é, sob pena de nulidade, público, a partir da decisão instrutória ou, se a instrução não tiver lugar, do momento em que já não puder ser requerida.
(…)

DEPOIS DE 2007
Artº 86º
(Publicidade do processo e segredo de justiça)
1. O processo pena é, sob pena de nulidade, público, ressalvadas as excepções previstas na lei.
(…)

Isto é, até à alteração de 2007, o processo penal encontrava-se em segredo de justiça, durante todo o inquérito e até à decisão instrutória ou, se esta não tivesse lugar, até ao momento em que já não pudesse ser requerida.

Após a alteração de 2007, a regra é a da publicidade desde o início do inquérito e conhecimento do facto criminoso. (Só ficará em segredo de justiça se assim for determinado pelo juiz, a requerimento dos intervenientes processuais ou Ministério Público)

Para a mudança daquele regime convergiram, essencialmente, duas opiniões:
- A primeira a de que não havendo segredo de justiça deixava de haver violação da lei com a divulgação de factos constantes do processo.
- A segunda, a de que com o segredo, o arguido não acedia livremente ao processo e desse modo eram-lhe coarctadas as garantias de defesa.

Vingou na minha opinião, a força de que fala Boaventura dos Santos, mudando-se a lei para atender a casos concretos, mediáticos e com capacidade de influir nas mudanças da lei.

Posto isto, interrogo-me se o acesso e a exposição pública de factos que deviam estar guardados no processo, favorece ou desfavorece os arguidos poderosos. Parecendo certo que os casos que caíram na praça pública, em geral, descredibilizaram-se e arrastaram-se sempre menorizando os tribunais.

Seja como for, a lei regula de forma estrita o acesso e divulgação. Mais uns elementos:

VINCULAÇÃO AO SEGREDO DE JUSTIÇA (quando exista)
Todos os sujeitos e participantes processuais, bem como as pessoas que, por qualquer título tiverem tomado contacto com o processo ou conhecimento de elementos, estão vinculados ao segredo de justiça.
O segredo de justiça implica as proibições de:
Artº. 86º nº. 8
a) Assistência à prática ou tomada de conhecimento do conteúdo de acto processual a
que não tenham o direito ou o dever de assistir;
b) Divulgação da ocorrência de acto processual ou dos seus termos, independentemente
do motivo que presidir a tal divulgação.

PUBLICIDADE DO PROCESSO
artº. 86º
6 - A publicidade do processo implica, nos termos definidos pela lei e, em especial,
pelos artigos seguintes, os direitos de:
a) Assistência, pelo público em geral, à realização dos actos processuais;
b) Narração dos actos processuais, ou reprodução dos seus termos, pelos meios de
comunicação social;
c) Consulta do auto e obtenção de cópias, extractos e certidões de quaisquer partes dele.

MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
Artigo 88.º
Meios de comunicação social
1 - É permitida aos órgãos de comunicação social, dentro dos limites da lei, a narração circunstanciada do teor de actos processuais que se não encontrem cobertos por segredo de justiça ou a cujo decurso for
permitida a assistência do público em geral.

(quando o faz em violação do segredo, tem invocado lei específica que lhe garante a protecção da fonte da informação)

CONSULTA DE AUTO E OBTENÇÃO DE CERTIDÃO POR OUTRAS PESSOAS
Artigo 90.º
Consulta de auto e obtenção de certidão por outras pessoas
1 - Qualquer pessoa que nisso revelar interesse legítimo pode pedir que seja admitida
a consultar auto de um processo que se não encontre em segredo de justiça e que lhe
seja fornecida, à sua custa, cópia, extracto ou certidão.


Já vai muito extenso o post, mas ainda alvitro se não seria de guardar os casos mediáticos a 7 chaves, com nota de todas as consultas. Por aqui me fico.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A natureza

A Terra é Sagrada

A propósito de mais uma medida da terra do "tio Sam", que deixo infra, relembro a Carta do chefe Seattle em 1854 ao grande chefe branco de Washington, quando em 1854, o Presidente dos Estados Unidos fez uma oferta de compra de uma grande extensão de terras índias. A resposta do Chefe índio, que ficou célebre, foi a seguinte.

Como se pode comprar ou vender o firmamento, ou ainda o calor da Terra?
Tal ideia é-nos desconhecida. Se não somos donos da frescura do ar nem do fulgor das águas, como poderão vocês comprá-los?
As florestas perfumadas são nossas irmãs, o veado, o cavalo, a grande águia são nossos irmãos; as rochas escarpadas, os húmidos prados, o calor do corpo do cavalo e do homem, todos pertencentes à mesma família.
Por tudo isto, quando o Grande Chefe de Washington nos envia a mensagem de que quer comprar as nossas terras, está a pedir-nos demasiado.
Só de ver as vossas cidades entristecem-se os olhos do Pele Vermelha. Não existe um lugar tranquilo nas cidades do Homem Branco, não há sítio onde escutar como desabrocham as folhas das árvores na Primavera ou como esvoaçam os insectos.
Isto sabemos: a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra.

Texto (adaptado) divulgado pela UNESCO e cedido por esta entidade a Júlio Roberto, que o inseriu no seu livro Poema Ecológico - Texto Editora



De quem é a Lua e a água da chuva?

Aprendemos nas universidades de Direito as noções de bem público, privado e universal. Sabemos, também, que os direitos, aquelas noções e as leis se acomodam às épocas e espaços e, que por vezes nos surpreendem de tão vanguardistas estas alterações surgem.

O que sucedeu no Colorado, Utah e Washington é um desses casos que nos deixam pasmados, então não é que determinados grupos de interesse, junto do poder, conseguiram a proeza inaudita de verem decretada como propriedade do Estado a água que cai do céu, sendo ilegal o seu armazenamento!
(Já estamos a ver o negócio da água e a guerra com as caleiras do meu telhado.)

domingo, 22 de novembro de 2009

Oasis of the Seas


Grande condomínio fechado flutuante.


Começou a navegar o maior navio do mundo. O "Oasis of The Seas" tem 360 metros de comprimento e após seis anos em construção está pronto e com capacidade para 8.500 pessoas, entre passageiros e tripulantes.

De 220 mil toneladas, 16 andares, tem 7 praças diferentemente projetadas, incluindo um parque de vegetação tropical ao ar livre do tamanho de um campo de futebol chamado de Central Park. Outra atração da embarcação será o "Rising Tide", um bar que se movimentará de cima a baixo pela superfície da embarcação.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Stressed vs Desserts



Brincando, ou talvez não!

O estado de ansiedade combate-se virando-o ao contrário. A revelação, de origem inglesa, é de simples demonstração: pegue-se na palavra stressed e viremo-la ao contrário. Aí está o antídoto perfeito para tão grande veneno: desserts (sobremesas ou tudo quanto seja deliciosamente doce).

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Civismo, em desabafo




Talvez seja uma palavra gasta. Como cidadania. Como amor. Ou como a velha e, por isso, vilipendiada democracia. O que gasta as palavras não é o excesso de uso, mas a falta de correspondência. O que é o amor, quando não é acto de dádiva? Sem gestos, trabalho, coragem, as palavras secam. O amor dos portugueses pelas palavras é demasiado platónico. Habituámo-nos à beleza das palavras nos livros, uma beleza de folhas secas, outonal, consolação desconsolada do que podia ser mas nunca foi. Vivemos de sonhos e queixumes, alucinados pelo que nos falta e faltando à realidade que os sonhos nos pedem. Adiamos. Adiamo-nos. (…) Um dia destes, pensamos, vou dizer tudo o que não disse. Vou fazer tudo o que não fiz. Pensamo-lo com raiva e desespero e vontade e paixão, solitários por entre as gentes. Depois respiramos fundo e adiamos. (…)

Precisávamos de criar um dicionário novo, onde as palavras reluzissem com o significado que possuíam antes de as usarmos como trampolins para tronos de miseráveis poderes, porque é miserável todo o poder que se serve a si mesmo em vez de servir a melhoria do mundo.
Civismo é compromisso com o futuro, exercício de amor. E o amor não correspondido desmorona-se, apaga-se, desfaz-se em névoa e amargura. Nem as pedras resistem ao abandono - a profusão de palácios, edifícios e monumentos em ruína acelerada testemunha os efeitos dessa falta de civismo com que nos desrespeitamos a nós mesmos e à nossa História.
Enquanto o assalto (…) sobre o erário público continuar a compensar, enquanto os que traem metodicamente os seus compromissos e fazem da lealdade sinónimo de subserviência continuarem a prosperar, enquanto os que vivem a lamber as botas dos poderes vigentes, mendigando mordomias, continuarem a latir de contentes, o país não sai de crise nenhuma. (…) Era útil que os políticos aprendessem aquilo que a lisonja lhes faz esquecer, essa coisa simples que é distinguir o trigo do joio. Basta atender (…) à correspondência entre o que dizem e o que fazem. Basta não ceder à tentação de confundir lealdade e oportunismo, arrogância e liderança, gabarolice e eficiência. "

Inês Pedrosa (www.expresso.pt)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Outros muros que dividem os homens


Enquanto uns muros se derrubam, outros permanecem e se erguem. Não falo metaforicamente, onde as emoções e as relações humanas primam pelo imediatismo, falo de atitudes concertadas dos que decidem o destino das nações, dos povos e etnias, das massas migratórias e seus fluxos.

Muros que persistem em dividir

1- Índia: Barreira com quase 500 km divide Caxemira. Junto ao Bangladesh, nova barreira em construção. Terminada, terá 4000 km.

2 - Rio de Janeiro: No início do ano o Brasil começou a erguer muros de betão, com três metros de altura, para isolar 11 favelas da cidade.

3 - Bagdad: EUA ergueram em 2007 um muro de 5 km de extensão e 3,6 metros de altura a separar um bairro sunita dos bairros xiitas vizinhos.

4 - EUA: Ao longo dos 3000 km de fronteira entre EUA e México foram erguidas barreiras numa extensão de quase 560 km.

5 - Israel: Em 2002 inicia-se a construção, na Cisjordânia, de um muro de cinco metros de altura para isolar Israel de povoações palestinianas.

6 - Marrocos Enclaves espanhóis de Ceuta e Melilla estão protegidos com valas, arame farpado e barreiras com sensores de movimento.

7 - Coreia: Criada em 1953, a Zona Desmilitarizada tem 4 km de largura. Tem muros com 250 km de extensão nos dois lados da fronteira.

8 - Chipre: A Linha Verde divide áreas turca e grega. Foi estabelecida nos anos 60 sob supervisão da ONU e tem 180 km de extensão.

9 - Ulster: Barreiras de paz erguidas nos anos 70 para controlar violência entre católicos e protestantes 40 muros persistem em Belfast.

Um dia todos os muros se derrubarão. Ou não!


"O muro da vergonha"

Há 20 anos, foi abolida a barreira que desde 1961 separava um país e dois sistemas políticos aplicados à RFA e a RDA.

O lento percurso de abertura foi coincidindo com alguma quebra de protagonismo da então URSS, no plano económico, político e militar e, teve sobretudo o seu grande impulso e definitivo com as reformas conhecidas por ‘perestroika’ de Mikhail Gorbachev. Contou, depois, com a força persuasiva de Helmut Kohl renomeado arquitecto da reunificação alemã.

A publicitação da decisão do Politbüro, de abertura de passagens para o Ocidente, foi de 9 de Novembro de 1989 e causou de imediato um misto de incredibilidade e alegria incontida. Mas, poucos minutos depois, os alemães precipitaram-se para a rua, tomaram conta dos postos de controlo e a demolição começou com tudo o que tinham à mão a servir de instrumento.

O resto é a história dos nossos dias…
…Nestes dias, e passados 20 anos, diz-se (e quem teve o ensejo de visitar, viu com os seus olhos) que ainda permanecem diferenças consideráveis sobretudo a nível económico e de oportunidades entre as regiões, tão profundas foram as realidades dos dois lados do muro.

Estão criadas as oportunidades…

EVIDÊNCIAS DA SUA HISTÓRIA

'Os trabalhadores empregam todas as suas forças a construir casas. Ninguém tem intenção de erguer um muro', W. Ulbricht, Presidente da RDA - 1961

'Dentro de cem anos o Muro continuará a existir', Erich Honecker, Presidente da RDA - 1987

'Não tenhais medo. [...] Mudai a face desta terra', Papa João Paulo II - 1979

'Não estou a tentar acelerar as coisas, mas há uma força que nos conduz', Helmut Kohl, Chanceler alemão.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Ingrato e o seu Oposto

.
Hoje, tropecei com uma daquelas situações que nos interpelam se estamos verdadeiramente tolos de tão evidente se apresentar uma coisa, enquanto o nosso interlocutor defende o seu contrário. Daquelas coisas inverosímeis, que ou são branco ou são preto, mas nunca mesclados; daquelas coisas que nos levam a concluir que a realidade que se vê, são afinal tantas relidades quantas os olhos que a vêem. Isso lembrou-me um texto de Séneca:

"O ingrato tortura-se e aflige-se a si mesmo; odeia os benefícios que recebe por ter de retribuí-los, procura reduzir a sua importância e, pelo contrário, agigantar enormemente as ofensas que lhe foram causadas.
Há alguém mais miserável do que um homem que se esquece dos benefícios para só se lembrar das ofensas?
A sabedoria, pelo contrário, valoriza todos os benefícios, fixa-se na sua consideração, compraz-se em recordá-los continuamente.
Os maus só têm um momento de prazer, e mesmo esse breve: o instante em que recebem o benefício; o sábio, pelo seu lado, extrai do benefício recebido uma satisfação grande e perene. O que lhe dá prazer não é o momento de receber, mas sim o facto de ter recebido o benefício; isto é para ele algo de imortal, de permanente. "
Séneca, in 'Cartas a Lucílio'

Óculos que fazem tradução em tempo real


Será que vamos deixar de estudar línguas?

A empresa japonesa de tecnologia NEC criou uns óculos que fazem a tradução simultânea de diferentes idiomas. Chama-se Tele Scouter e é um dispositivo óptico que tem acoplado um microfone. Reconhece o idioma falado pelo interlocutor e converte em textos traduzidos, por meio de um programa de computador.

A invenção vai permitir a conversa entre pessoas de diferentes nacionalidades sem a necessidade de um intérprete ou de um dicionário.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Biblioteca Digital Mundial

Foi aberta terça-feira em Paris a Biblioteca Digital Mundial, sobre a égide da Unesco.
Para quem gosta da investigação, da literatura e história, de consultar e ler comentários e manuscritos raros, tem aqui um manancial de informação.

prémios da blogosfera


A amiga Teresa, do http://blogcronicasdateresa.blogspot.com/ resolveu distinguir-me com mais um prémio, desta vez é o Prémio (Blog Instigante) .

O lindo selo destina-se a premiar, e cito:
Blogs que, além da assiduidade das postagens e do esmero com que são feitos, provocam-nos a necessidade de reflectir, questionar, aprender e – sobretudo – que instigam almas e mentes à procura de conhecimento e sabedoria.”

Sinto-me, como não podia deixar de ser, muito feliz e honrado pela escolha, ainda mais vindo da autora de um blog com a valia como é o da Teresa Santos.

Bom, também é pedido que o reenvie a outros sete blogs, e é isso que farei, convicto que é parte mais dificil pois muitos dos que não irão designados mereceriam ser escolhidos:

http://sairdaspalavras.blogspot.com/

http://leiturasdasmarias.blogspot.com/

http://pequenospatifes.blogspot.com/

http://sabereconnosco.blogspot.com/

http://historicofilosoficas.blogspot.com/

http://umolhardeperto.blogspot.com/

As nossas crianças



O Instituto de Apoio à Criança vai apresentar proposta ao Parlamento para mudar o conceito de "superior interesse da criança", para que se privilegiem as relações afectivas nas decisões dos tribunais.
O Instituto, quer que os tribunais respeitem as relações afectivas em casos de regulação paternal, defendendo a consagração na lei do direito fundamental da criança à "continuidade das relações afectivas estruturantes e privilegiadas contribuindo para a promoção do superior interesse do menor" .

Conhecidos ficaram, entre outros, os casos de Esmeralda, a criança russa Alexandra ou a menor Vanessa, onde se privilegiaram os laços consanguíneos.

Seja qual for a solução a adoptar, a colisão entre os putativos direitos dos progenitores, com os das famílias de acolhimento que estabeleceram laços duradouros de afectividade, continuará. Por isso, creio que a opção clara e absoluta por um dos lados é errada e nada resolverá. Aliás, tem sido ambígua a designação destas famílias, como as afectivas, em contraponto aos progenitores ou famílias sanguíneas (como se estas só pelo facto da designação, fossem incapazes de afectividade).

A valoração tem de ser feita em cada caso concreto. Julgo mesmo que a natural evolução e sedimentação dos direitos da criança - cada vez mais adquiridos -, tenderá a escolher, sem reservas nem pruridos, a solução que melhor sirva, em cada momento, os superiores interesses da criança (exclusivamente dela, e não dos pais naturais, ou dos pais adoptivos, ou da familia que a acolheu espontânea ou a solicitação das autoridades).

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Leituras ao correr da pena


Itinerário da Vida de um Homem Comum
30-10-2009

Itinerário da Vida de um Homem Comum é o nome da obra mais recente de Manuel de Lima Bastos - o vencedor do Prémio Literário da OA, em 2009, com “À sombra de Mestre Aquilino”.

Sinopse
"Estou em crer que não há um só desmiolado do juízo que não esteja convencido que a história do seu trânsito pela terra daria pano para mangas, isto é, pelo menos para um romance ou um filme. Não é o caso. Não carrego morte de homem nem esfaqueei o próximo pelas costas. Tenho a presunção de pensar que nunca calquei o fraco para servir o forte, humilhar o desvalido para agradar ao poderoso ou sacrificar a consciência em troca de pecúnia apesar do ingrato ofício de advogado que exerci."

A economia

COMO SE EXPLICA A COMPLEXA TESE DA ECONOMIA


domingo, 25 de outubro de 2009


Mais uma distinção do http://clarices-bichocarpinteiro.blogspot.com/. O lugar da Clarinha, Clarices ou será Austeriana, é um belíssimo blog que sabe bem visitar e revisitar assiduamente.

Pela minha parte, há muito que sou um fiel seguidor que admira a diversidade e profundidade dos seus temas.

Recomendo vivamente.

Honrado pela distinção, agradeço o prémio.

O Protocolo será:

- Deixar o link para a visita ao Bichocarpinteiro.

- Presentear o blog da minha amiga e colaboradora no cogitar, Cristina Bernardes do florestadasleituras, e ainda, embora não tenha blog (pelo menos que eu conheça) quero presentear a minha comentadora habitual Áurea, (que é aquário, de Alcobaça) pelas suas especiais qualidades para versejar.

- Criar uma frase com a expressão "just perfect" (tem a recomendação de que ela seja mantida em língua inglesa): Bom, aqui apenas vos remeto para "Shakira Shakira... so perfect, just perfect", video in http://videolog.uol.com.br/video.php?id=131189.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Carácter internacionalista

Povo português

Do povo português, diz-se (entre nós) que é saudosista, triste e melancólico, dai a nossa criação do fado.
Diz-se (entre nós, como mais uma forma de auto-mutilação) que é pessimista, modesto e com pouca auto-estima.
Tudo não passará de um exercício malogrado de qualificar uma universalidade, que no caso, é constituída por milhões de pessoas com vivências, sentimentos e pensamentos, caracteres e personalidades, tão diversas e distintas que qualquer uma adjectivação não pode ousar traduzir.

Mas, isto dito, não invalida o anedotário que se foi, e ainda vai ouvindo e abaixo se reproduz, com o agradecimento à mão amiga que mo enviou.

O carácter internacionalista do povo Português

- Se tem um problema intrincado...................................... Vê-se grego;
- Se não compreende alguma coisa.................................... aquilo é chinês;
- Se trabalha de manhã à noite.......................................... trabalha como um mouro;
- Se vê uma invenção moderna......................................... É uma americanice;
- Se alguém fala muito depressa........................................ fala como um espanhol;
- Se alguém vive com luxo................................................. vive à grande e à francesa;
- Se alguém quer causar boa impressão........................... é só para inglês ver;
- Se alguém tenta regatear um preço............................... é pior que um cigano;
- Se alguém é agarrado ao dinheiro .................................. é pior que um judeu;
- Se vê alguém a divertir-se............................................... está a gozar que nem um preto;
- Se vê alguém com um fato claro vestido........................ parece um brasileiro;
- Se vê uma loura alta e bonita.......................................... parece uma autêntica sueca;
- Se quer um café curtinho................................................. pede uma italiana;
- Se vê horários serem cumpridos..................................... trata-se de pontualidade britânica;
- Se vê um militar bem fardado......................................... parece um soldado alemão;
- Se uma máquina funciona bem....................................... é como um relógio suíço;
Mas quando alguma coisa corre mal................................. é " à PORTUGUESA"

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Banda Larga torna-se direito constitucional na Finlândia


A Finlândia reconhece o acesso à Internet como um direito básico e fundamental de todos os seus cidadãos

A Finlândia acabou de aprovar uma lei que garante o acesso universal à Internet de banda larga. A legislação obriga a que, a partir de Julho de 2010, os fornecedores de telecomunicações passem a oferecer ligações à rede com uma velocidade mínima de 1 Mb a cerca de 5,3 milhões de pessoas.

Com a nova lei, a Finlândia transforma-se no primeiro país da União Europeia e o segundo do Mundo a adoptar este tipo de medida. A Suíça aprovou legislação idêntica em 2006.

Por cá, vão-se discutindo as circunstâncias em que esse serviço poderia ser disponibilizado. Mas, por ora, parece que os interesses das empresas do sector têm tido ganho de causa. A rede de distribuição e os preços são guerras para durar. Oxalá eu me engane!

Lamego e o poder, parte II

O que ficou das autárquicas

Depois do post anterior sobre este tema, não poderia deixar de referir o resultado do veredicto popular. Aqui, o povo falou, e falou bem alto, de tal forma foi avassalador o resultado com que brindou a coligação “Todos Juntos por Lamego”.

Tudo ficou pela ordem que então colocámos os respectivos logótipos e com a maior maioria alguma vez alcançada cá no burgo. Convertidos os votos nos 7 mandatos que compõem a C.M.L., como ensinou o jurista e professor Victor D'Hondt, a Coligação PSD/PP arrecadou 6 mandatos, deixando apenas 1 para o PS e, em consequência, não elegendo ninguém a lista dos Independentes.

O notório trabalho realizado durante os quatro anos que se sindicavam, foi a melhor mensagem de campanha. O povo reconheceu-o. Glória Aos Vencedores, Honra Aos Vencidos.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A moda e os costumes

Nicolau Tolentino (1740-1811), foi um jurista e poeta com humor. Escreveu com o seu estilo próprio, em tom de grande humor, os costumes tolos e o comportamento de aparências.

Os mais velhos ainda devem lembrar-se de ler no nosso manual de Língua Portuguesa, o seu soneto "O toucado".

Na época, quanto mais alta fosse a cabeleira mais na moda estaria, (influências da moda europeia, sobretudo a francesa) então, diz Nicolau, a filha de um rico embarcado, enfia um colchão na cabeleira. Como é obvio, seria difícil o colchão caber no toucado da rapariga. Mas assim, Nicolau Tolentino, exagerando propositadamente, critica os hábitos de exibicionismo usuais em certas camadas sociais da época.


Aqui fica o famoso soneto.

Chaves na mão, melena desgrenhada,
Batendo o pé na casa, a mãe ordena
Que o furtado colchão, fofo e de pena,
A filha o ponha ali ou a criada.
A filha, moça esbelta e aperaltada,
Lhe diz co'a doce voz que o ar serena:
- «Sumiu-se-lhe um colchão?
É forte pena;
Olhe não fique a casa arruinada...»
- «Tu respondes assim?
Tu zombas disto?
Tu cuidas que, por ter pai embarcado,
Já a mãe não tem mãos?»
E, dizendo isto,
Arremete-lhe à cara e ao penteado.
Eis senão quando (caso nunca visto!)
Sai-lhe o colchão de dentro do toucado!...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009







Can you spot the library?


Cardiff public library
If you’ve ever wanted to feel like an ant, head to the library in either cardiff or kansas missouri: rather than using a traditional front to the building, both have decided to turn the premises into giant bookshelves, creating an extremely surreal experience for passers by.

Apparently this is only a temporary feature at cardiff library until the new building is completed. if it was up to me the place would stay like this permanently.

sábado, 10 de outubro de 2009

Nobel da Paz


O prémio Nobel da Paz foi para Barack Obama.


Ter-se-á premiado a esperança?


Bom abraço

A amiga Teresa do http://blogcronicasdateresa.blogspot.com/, resolveu dar-me um prémio em forma de ABRAÇO. Fico-lhe agradecido e em dívida.





O abraço traz o desafio de responder a três perguntas, ei-las:


1ª Quem mais gostarias de abraçar no presente?
Bom, esta é fácil, gostaria muito de abraçar o meu filho que não vejo há dois meses.

2ª Quem nunca abraçarias?
Bom, esta já não é de tão fácil resposta, mas há uns tantos humanos sem princípios e escrúpulos que sentiria algumas náuseas com a aproximação.

3ª Davas tudo para poder abraçar quem?
Também é fácil, daria muito para abraçar a minha saudosa mãezinha.

Agora deveria endossá-lo, mas como me chamam, fá-lo-ei mais tarde.
Melhor, (acrescento, dias depois) ficará para quem ouse levá-lo, é prémio do visitante).
Dia Mundial contra a Pena de Morte, é assinalado hoje, dia 10 de Outubro.

Foi instituído há dois anos durante a presidência portuguesa da União Europeia. Aliás, Portugal foi também o primeiro país do mundo a prever a abolição da pena na Lei Constitucional, em 1867.

De acordo com a Comissão Europeia e a Amnistia Internacional, os números de execuções permanecem elevados. Em 2008 foram executadas pelo menos 2390 pessoas em 25 países e 93% de todas as execuções conhecidas ocorreram em cinco: China, Irão, Arábia Saudita, Estados Unidos e Paquistão.
Notícias sapo online

Lei de 1 de Julho de 1867. A abolição da pena de morte para os crimes políticos foi proposta na sessão de 10 de Março de 1852 da Câmara dos Deputados, em Aditamento ao Acto Adicional à Carta Constitucional. Ali se disse: "porque felizmente entre nós a pena de morte para os crimes políticos está abolida nos corações de todos; e se, porventura, aparecesse hoje entre nós, um Nero, ou um Calígula, não teria força para a impor; e ainda bem que damos ao mundo um exemplo de tolerância que muito nos honra".

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

A propósito da justiça


Não há Justiça sem Anões!!

Não há Justiça sem Anões!!, da autoria de J. Mário Teixeira. A sessão de lançamento será na livraria FNAC do NorteShopping, no dia 13 de Outubro de 2009, às 21h30.

"Esta obra, finalmente descensurada, serve-se da paródia para alcançar um nobre e antigo propósito: o de "castigar os costumes pelo riso". A trama conduz-nos, nos caminhos sinuosos da sátira, à cáustica e desconcertante percepção crítica, onde a diminuta condição física dos heróis - Prof. Legal e o seu Assistente - é um recurso estilístico para a representação alegórica do inconformismo contra os tiques da pequenez e da arrogância dos meandros da Justiça e da sociedade em geral."
-
Este livro, que ainda não li, poderá vir a ser de uma utilidade tremenda ao desmitificar, com humor, as dificeis relações que sempre se estabeleceram entre os cidadãos e a justiça.
Cada vez mais, para a pacificação social, é necessário perceber, para aceitar, as decisões judiciais. É imprescindível que o vencido seja convencido da justeza e bondade da decisão. E, se existir incapacidade, em caso concreto, de convencer pela decisão, que tal seja resultado não da inabilidade do juiz mas da ausência de capacidade de ser convencido por parte do cidadão in causa, cego pela excessiva proximidade dos factos.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Para descomprimir

Enviaram-me, via e-mail, esta anedota que encerra muitas das ideias preconcebidas e preconceituosas que pululam por aí. Não deixa contudo de servir para reflectir, para além do humor que também encerra.
.
Paraíso vs. Inferno
O Paraí­so é aquele lugar onde o humor é britânico, os cozinheiros são franceses, os mecânicos são alemães, os amantes são portugueses e tudo é organizado pelos suíços.

O Inferno é aquele lugar onde o humor é alemão, os cozinheiros são britânicos, os mecânicos são franceses, os amantes são suíços e tudo é organizado pelos portugueses.

domingo, 4 de outubro de 2009

País de acolhimento

ONU destaca Portugal como exemplo de boas práticas em matéria de integração de imigrantes

ONU destaca Portugal como exemplo de boas práticas em matéria de integração de imigrantes. Numa altura em que os Estados adoptam regimes migratórios "cada vez mais repressivos", Portugal é destacado como exemplo de boas práticas em matéria de integração no relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) sobre migrações.

No Relatório de Desenvolvimento Humano 2009 - chamado "Ultrapassar barreiras: mobilidade e desenvolvimento humanos" e pela primeira vez dedicado à análise da "complexa e bastante variável" realidade das migrações -, Portugal é citado como um dos países o­nde os cuidados de saúde "estão acessíveis a todos os imigrantes, independentemente do seu estatuto legal".

Mas não é só neste domínio que a política de imigração nacional é elogiada. Portugal é também um dos "países desenvolvidos" o­nde é possível prolongar as "licenças temporárias" e convertê-las em permanentes "após vários anos de residência regular" - no caso de Portugal, cinco anos.
Portugal aparece também citado como um dos países o­nde a população está menos preocupada com os custos para o Estado resultantes da presença de imigrantes.
I online

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Lamego e o poder

Lamego vive a festa da corrida autárquica: Carros debitando música e apelo ao voto de manhã à noite, sound bites para perdurar, bandeiras desfraldadas, arruadas, bombos e bandas, todos a um tempo, reivindicando o espaço da feira semanal, ou entrecruzando-se pelo centro da cidade. Tem sido sempre assim, vai ser assim até às 24.ooh da antevéspera do dia 11 de Outubro.
Escolhe-se uma palavra, uma frase, uma só entre milhões e nasce um tremendo poder de evocação. Diz-se, as imagens valem mais do que as palavras é metade da verdade, pois o inverso também é verdadeiro. "De alma e coração"; "as pessoas primeiro"; "mais Lamego"; "soluções para viver melhor"; "Almacave a minha paixão"...

Interessante explicação acerca de moral e ética