sábado, 26 de dezembro de 2009

Julgamentos sumários


James Bain passou 35 anos preso na Florida, nos Estados Unidos, tendo sido agora declarado inocente, depois de um exame de ADN ter demonstrado que não foi ele que cometeu o crime. Diga-se ainda, que o exame ao seu ADN só agora foi feito - deferido por um tribunal de recurso - depois de múltiplos requerimentos seus ao longo de muitos anos, sempre indeferidos.

Tinha 19 anos em 1974, quando foi condenado a prisão perpétua por atentado violento ao pudor contra um menino de 9 anos, sequestro e roubo. Foi libertado com 54 anos.

Como poderá a sociedade compensar o tempo em que esteve preso?
O que sofreu! O que deixou de viver! Conseguimos nós imaginarmo-nos numa situação semelhante?

É por causa de exemplos destes que a sociedade não pode deixar de pugnar pelas garantias de defesa do arguido, e de defender a presunção da sua inocência até à sua absolvição ou condenação definitiva.

As condenações precipitadas, sejam em tribunal, sejam na comunicação social, serão sempre injustas e perigosas.
http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1450962&seccao=EUA%

11 comentários:

  1. Espero que tenha tido um Feliz Natal.
    Desejo-lhe um Bom Ano Novo.
    A notícia que aqui coloca (acompanhei-a pela TV e jornais)angustia e obriga a reflectir. Completamente de acordo com o que diz. As condenações precipitadas serão sempre injustas e perigosas. Para já não falar nos agentes da Justiça, a Comunicação Social vai por mau caminho, infelizmente. Tinha razão Oscar Wilde, quando escreveu: "Dado o carácter do jornalismo actual, a profissão de espião deixou de fazer sentido".
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Penso nisto muitas vezes
    É algo que muito me assusta
    Destrói emocionalmente
    Uma condenação injusta

    Quando ouvi essa notícia
    Pensei nesse sofrimento
    Trinta e cinco anos preso
    Uma vida de tormento

    Como é possível só agora
    O erro ser detectado
    Depois duma vida destruída
    Dor e angústia sofrida
    Por um caso "suspeitado!"

    Concordo com seu comentário
    E é interessante dizer
    O que este homem sofreu
    "O que deixou de viver?"

    Só consigo exprimir que é HORIVEL. Como se aguenta tanto SOFRIMENTO.
    BJO
    BOM ANO
    Áurea

    ResponderEliminar
  3. Está será das situações mais angustiantes que um ser humano pode viver. Pelo menos, podemos orgulhar-nos pelo facto de não existir pena de morte no nosso país...

    PS. Tens um desafio no «Bicho-carpinteiro».
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Errar, tem-se dito, é próprio do ser humano. Isto é, por não sermos máquinas programadas para uma certa e determinada acção, podemos errar (e temos consciência que erramos)(da máquina só se admite que erre, quando avarie).
    Por isso é que penso que os direitos de defesa de quem está a ser acusado, devem ser o mais latos possíveis. (sabemos que do outro lado está alguém a tentar a condenação).
    FELIZ ANO 2010 para todas. Bjs

    ResponderEliminar
  5. Muda-se de ano... Muda-se de sonhos... Muda-se de objectivos... Muda-se de aparência... Mas jamais se muda de amigos.

    Feliz Ano Novo!...

    ResponderEliminar
  6. Manuel,

    E não há lei que puna quem submeteu este Homem a um calvário de 35 anos? E não há justiça que se aplique a quem o julgou, condenou e indeferiu os seus pedidos de exame de ADN?
    Interrogo-me muitas vezes que raio de mundo é este, desumanizado, enlouquecido. Mas perante estas situações - completamente incompreensiveis pelo que representam de animalesco -, acreditas que emudeço? A brutalidade é tal que se me afigura quase inimaginável. Errar é humano, sim, errar durante 35 anos NÂO!
    Abraço e bom 2010.

    ResponderEliminar
  7. Tens razão Teresa, não deves emudecer, ninguém pode calar esta injustiça. É inimaginável e impossível de reparar ou compensar.
    Um ANO de 2010 cheio de alegria para as amigas Tétis e Teresa.

    ResponderEliminar
  8. Olá, amigo!
    Deus abençoe sua vida infinitamente!
    Desejo pra você e sua família, votos de feliz ano novo!
    Que este ano de 2010, seja repletos de saúde, paz, amor e grandiosas vitórias...
    Porém, não somente no ano de 2010, mas sim em todos os seus dias...
    Que todos os seus sonhos se realizem!
    Beijos de poesias...
    Com apreço e carinho de sempre...
    Cely Cavalcanti.

    ResponderEliminar
  9. Obrigada pelos comentarios.

    Tenho andado um pouco ausente mas sempre que posso faço sempre um post para todos os leitores.

    Obrigada pelas visitas ;)

    Um beijO*

    Feitio´Zinho

    ResponderEliminar
  10. Também sou da opinião da Áurea, acho que não é fácil haver justiça, mas não deve haver a presunção de achar que todos são culpados antes que se prove, e sim justamente o contrário.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética