domingo, 9 de maio de 2010

Benfica





As emoções, por vezes pouco racionais, trazem-nos momentos de prazer e glória (por vezes, também de tristeza). E o futebol é um desses paradigmas, provoca emoções fortes e gosta-se ou simpatiza-se com um clube tal qual de um partido político, sem saber bem a razão da escolha ou como começou (acredito mesmo, que a relação de pertença a um clube é bem mais forte, podendo muitos mudar de partido político, mas poucos de clube). Agora exalta-se o BENFICA pela conquista do seu 32º campeonato.

5 comentários:

  1. Não sei para que time torces meu caro Manuel Afonso, mas tens razão o Benfica mereceu o titulo pela bela campanha que fez. Em relação de ser mais forte um amor por um time e um partido político com certeza o amor que sentimos pelo nosso time de coração é bem maior do que a um partido. Digamos que este amor pode ser medido em uma escala de 0 a 10 por exemplo. Ao time damos 10 na escala e ao partido damos 6. Até mais meu amigo e muita saúde e sucesso pra você.

    ResponderEliminar
  2. Olá Manuel, obrigada pelo seu comentário!
    Aquela música dos U2 inspirou-me muito a escrever o texto. Às vezes gostava de viver sozinha, de estar sozinha, sem mais ninguém por perto e de conseguir sobreviver sozinha. Mas como diz a música "às vezes não conseguimos fazê-lo sozinhos". Não conseguimos sobreviver sem os outros, sem amigos, sem pessoas. Não somos auto-suficientes, dependemos todos uns dos outros. Gostava que não fosse assim, gostava de, pela primeira vez na vida, conseguir ser independente.
    Já estou a segui-lo, obrigada por ter visitado o meu blog.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Já agora, sou benfiquista e apesar de não ligar nenhuma ao futebol, somos campeões! :) O seu texto está brilhante, reflecte o que sente um verdadeiro fanático...

    ResponderEliminar
  4. É com enorme satisfação que digo ,que o meu clube é campeão sem escutas nem corrupção.
    Saudações benfiquistas do sócio nº "1197?"

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética