quarta-feira, 13 de maio de 2009

Bocage e o ladrão


Conta-se que Bocage, ao chegar a casa um certo dia, ouviu um barulho estranho vindo do quintal. Era um ladrão que tentava levar os seus patos de estimação. Aproximou-se vagarosamente, surpreendeu o indivíduo ao tentar pular o muro e disse-lhe:
-
Ó bucéfalo anácrono! Não te interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo acto vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando os meus ovíparos à sorrelfa e à socapa.
Se fazes isso por necessidade, transijo... mas se é para zombares da minha elevada prosopopeia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com a minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e fá-lo-ei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que o vulgo denomina nada.
E o ladrão, confuso, diz...
- Senhor, afinal levo ou deixo os patos? (perguntou o ladrão atónito, sem nada ter percebido).
(Manuel Maria Barbosa du Bocage)

4 comentários:

  1. Manuel, tudo bem?! Pois é... obrigada por me seguir. Estou dando um pulinho aqui rápido, mas depois com calma, vou ler o seu blog melhor.
    Então, até lá!
    Com carinho
    Glória

    ResponderEliminar
  2. Essa sim, uma arma eficaz, a de Bocage!!
    Um grande abraço,
    Ana Lúcia.
    PS: Eis-me pois em seu blog, adeus e-mail...

    ResponderEliminar
  3. kkkk....portugal X brasil...essa eu já ouvi se referindo a Ruy Barbosa.....muito boa a piada...!!!
    creio que os dois falariam da mesma forma...
    brigada pela visita e pelo comentário...

    ResponderEliminar
  4. Manuel,

    Que espaço ótimo !
    Inteligente, interessante, li vários posts !!!
    Muito bom !!!
    Parabéns !


    Um beijo carinhoso,

    Solange

    http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética