quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Não há crise na arte!


Qual crise financeira!

O preço de 74 milhões de dólares oferecido pelo quadro de Pablo Picasso, "Rapaz com cachimbo", e que constituia recorde de preço de venda em leilões, foi agora superado com a venda da escultura de Giacometti .

A escultura em bronze "O homem que anda I" de Alberto Giacometti, é peça de arte mais cara alguma vez vendida em leilão, ao ser adjudicada por 74,4 milhões de euros, anunciou a Sotheby´s.
"Depois de oito minutos de uma batalha de licitações rápida e furiosa entre, pelo menos, dez potenciais compradores", a peça foi vendida "a um investidor anónimo por telefone", relatou a casa de leilões.
aqui, JN - foto Carl de Souza/AFP

2 comentários:

  1. Gosto muitíssimo do trabalho de Giacometti e esta é uma das minhas peças favoritas. Adorava poder adquiri-la. :)))
    Curiosamente, a criação de Giacometti tem tudo a ver com a procura da essência humana - o inverso do supérfluo que estes negócios acabam por representar...
    Pelos vistos, nem com o prémio do euromilhões lá chegava!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Austeriana,
    Bom gosto, sem dúvida e que não me surpreende nada. É uma peça belíssima. E a arte do belo não tem preço.
    Aqui, o paradoxo é que os momentos de crise servem para realçar as diferenças na posse da riqueza.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética