terça-feira, 21 de junho de 2011

A senhora Presidente da Assembleia da República

Mota Amaral, parecia ser o esperado e preferido de muitos, seria até porventura o nome mais adequado às funções, pela idoneidade do carácter, a segurança da sua idade e experiência acumulada como deputado e até presidente da Assembleia, que já foi.

Mas a escolha de Assunção Esteves é, manifestamente, um sinal de amadurecimento da nossa democracia. Vamos ter, pela primeira vez, uma mulher Presidente da Assembleia da República, cargo que é recorde-se, simultaneamente, a segunda figura do Estado.

Assunção Esteves, foi deputada ao parlamento nacional, juíza do Tribunal Constitucional, deputada europeia, sempre com enorme competência e vai fazer, estou certo, um enorme bem ao ego e imagem de Portugal. 

2 comentários:

  1. Olá Manuel,

    Tenho uma enorme esperança em Assunção Esteves. Esperança de que faça um bom trabalho! Considero-a uma mulher com provas dadas, uma mulher de muito valor.
    O facto de se tratar de uma mulher, a primeira mulher Presidente da Assembleia da República, sinceramente, para mim é irrelevante.
    É que cada vez temos que apostar mais na competência.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Concordo inteiramente. Destaquei o facto de ser mulher, porque também acho que esse facto, por si, dá uma imagem de amadurecimento da nossa democracia e dos valores da nossa sociedade. Por contraponto, por exemplo, à necessidade da existência de quotas para as mulheres conseguirem aceder aos cargos políticos!

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética