quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011


Um livro indisponível é um pedaço de memória que se perde, uma parte do património que se apaga e uma obra de arte que se esquece de si mesma”, afirmou o ministro da Cultura, Fréderic Miterrand, citado pelo jornal El Mundo.

A França vai digitalizar, nos próximos cinco anos, meio milhão e meio de livros que actualmente não se encontram disponíveis em edições impressas.

As obras ficarão acessíveis no site do projecto Gallica, da Biblioteca Nacional de França.
notícia, aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Interessante explicação acerca de moral e ética