sexta-feira, 18 de junho de 2010


O senhor deputado da nação que por não gostar das perguntas que o jornalista lhe fazia e, porventura, arrependido do que já havia dito, surripiou os gravadores, meteu-os ao bolso e foi embora, não pára de surpreeender.

Nessa altura, alegou acção directa para se apropriar dos gravadores e não os devolver. Porventura, por desconfiar que os gravadores conteriam expressões com a sua voz!!

Agora, veio sufragar a iluminada ideia de duas colegas de bancada, de reduzir os feriados, e acabar com as "pontes".

Até aí, seriam apenas opiniões...

Mas o deputado que pensa muito, mas que não deve ser antes de falar, como se viu no episódio dos gravadores, disse logo: -"O 25 de Abril pode ser comemorado no dia 26 ou 27, o que importa é comemorar a liberdade".

Depois desta, só nos resta, respirar de alívio, pois ter-se-á contido ao ponto de não dizer que o 25 de Abril, também poderia ser comemorado no dia 24 de Abril. (nem que fosse pela carga conotativa).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Interessante explicação acerca de moral e ética