quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A justiça de todos os tempos

"... para proclamar o direito no país, para destruir o malvado e o perverso, para impedir que o forte oprima o fraco ... para assegurar o bem-estar do povo e fazer justiça ao oprimido..."
Código de Hammurabi (Séc. XVIII a.C.)

8 comentários:

  1. E em que século isso vai acontecer???? Não será tudo uma grande utopia? Cada vez vejo os homens a gladiarem-se...até por um lugar no parque de estacionamento!! Um abraço Graça

    ResponderEliminar
  2. Temos de continuar a acreditar na justiça...

    É sempre bom passar por aqui, todos os posts respiram serenidade e bom-senso.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Um ideal, seja ele qual for, impõem-nos um percurso de vida, individual e colectivo, que como tudo o que que não é facilmente alcançável, terá muitas encruzilhadas e obstáculos. Amiga Graça, percebo o desencanto, mas sabe como eu que ainda são as utopias e ideias que fazem a vida avançar (como o sonho (do poeta)que comanda a vida). É um pouco também como constatou Winston Churchill, quando disse " A democracia é a pior forma de governo, excepto todas as outras que têm sido tentadas de tempos em tempos."
    Obrigado pelo comentário.
    Dra. Cristina é sempre um prazer lê-la.

    ResponderEliminar
  4. Para proclamar justiça
    E a maldade punir
    Ai de nós se a justiça
    Deixasse de existir

    Ás vezes também me sinto
    Um pouco desanimada
    Por ver tanta injustiça
    E alguém que não faz nada

    Mas à outras em que se vê
    Que a justiça "funcionou"
    Pôs o ladrão na prisão
    E o oprimido se "esticou"

    Lá diz o velho ditado
    "A justiça tarda, mas não falha"
    Aquilo que muito nos custa
    Ver à solta um "canalha."

    "O sonho comanda a vida"
    Vamos nele acreditar
    Nesta vida quem não sonha
    Já pouco tem para "dar..."

    Um abraço e obrigado pelo elogio.
    Áurea

    ResponderEliminar
  5. Para proclamar justiça
    E a maldade punir
    Ai de nós se a justiça
    Deixasse de existir

    Ás vezes também me sinto
    Um pouco desanimada
    Por ver tanta injustiça
    E alguém que não faz nada

    Mas à outras em que se vê
    Que a justiça "funcionou"
    Pôs o ladrão na prisão
    E o oprimido se esticou"

    Lá diz o velho ditado
    "A justiça tarda, mas não falha"
    Aquilo que muito nos custa
    Ver à solta um "canalha."


    "O sonho comanda a vida"
    Vamos nele acreditar
    Nesta vida quem não sonha
    Já pouco tem para "dar..."

    Um abraço e obrigado pelo elogio.
    Áurea

    ResponderEliminar
  6. Manuel,
    Sim, ideais, sempre! Contudo, a vida também nos vai ensinando que a acumulação de injustiças, além de provocar desencantos, semeia radicalismos perigosos e o que se sente (muitas, demasiadas) vezes na justiça tem pouco que ver com o ideal citado e com democracia.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Muito bom e a propósito. Dou-lhe os parabéns pela facilidade que demonstra a versejar.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética