domingo, 26 de julho de 2009

O amor anda no ar...


Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?
Luís Vaz de Camões, in "Sonetos"

4 comentários:

  1. Em dia de comemoração, a escolha para o post foi excelente! Parabéns, Manel e Isilda!
    Felicidades, Mil!
    Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada por este pedacinho de Amor, do nosso grande Camões.

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  3. Há um grupo pop português que canta este belo soneto, numa melodia invejável!
    Aconselho a sua audição, cantada pelos Pólo Norte.

    Bom gosto!
    Beijinho terno!

    ResponderEliminar
  4. É sempre bom ouvir falar de amor! Lindo! Apesar de tanto mal que nos rodeia o amor é o que nos move e que move o mundo. É o mais importante da vida. O resto ... são ilusões ...e desilusões.
    Beijinhos mil.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética