sábado, 28 de março de 2009

Questões de Justiça



«e, correndo os pleitos, por não se poderem evitar de todo, venham a rabulice, a trapaça, a apelação, a praxe, os ambages, para que vença tarde quem por justa justiça deveria vencer cedo, para que tarde perca quem deveria perder logo».
In Memorial do Convento, José Saramago

Uma das críticas que amiúde se ouvem acerca da justiça prende-se com a morosidade na aplicação da justiça aos casos concretos, a demora em encontrar e sancionar os culpados, a demora na resolução dos conflitos civis que lhe são presentes, a existência de demasiadas garantias de defesa. Ora se culpam os funcionários e juízes por desleixo na tramitação processual, ora os advogados por usarem e abusarem de expedientes dilatórios em vista do retardamento da decisão. Foi pensando nestes, (advogados e as partes que representam) e não em pretenso garantismo excessivo do ordenamento jurídico português, que Saramago escreveu a frase supra, paradoxalmente das mais transcritas por aqueles destinatários nos seus articulados e alegações de direito. Quem diria.

2 comentários:

  1. É verdade MAnoel, além do amor, não existe nada igual aos momentos compartilhados a dois, os risos a compreensão e a ajuda... Bjs querido e obgda pela visita. ;)

    Obs: Além de jornalista sou estudante de Direito e seu blog é super interessante!!!

    ResponderEliminar
  2. "O DIREITO, A ARTE E A LITERATURA"
    Excelente blog. Estarei sempre por perto.
    Abraço.Miriam

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética