sábado, 21 de março de 2009

As solicitações actuais e a demissão do convívio


Não sei se o texto infra se passou ou não na realidade, pois tive conhecimento dele através de um fórum em que participo, mas pode bem sê-lo, pois é elucidativo de realidades quotidianas.

Uma professora pediu aos alunos que fizessem uma redacção na qual fizessem um pedido a Deus.
À noite, em casa, quando corrigia as redacções, a professora leu uma que a deixou muito emocionada e transtornada. O marido que estava a ver televisão, ouvindo-a a soluçar, perguntou-lhe o que tinha acontecido. Ela disse-lhe:

- Lê isto. Era a redacção de um aluno.

“Senhor, esta noite peço-te algo especial: transforma-me na televisão. Quero ocupar o lugar dela. Viver como vive a TV da minha casa. Ter um lugar especial para mim, e reunir a minha família à volta...quero que me ouçam e me levem a sério...quero alguma atenção. Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona. E ter a companhia do meu pai quando ele chega a casa, mesmo quando está cansado. E que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me ignorar. Quero que os meus irmãos brinquem comigo em vez de estarem ao computador. Quero sentir que a minha família deixe tudo de lado, de vez em quando, para passar alguns momentos comigo. E, por fim, faz com que eu possa diverti-los a todos. Senhor, não te peço muito...Só quero viver o que vive qualquer televisão e qualquer computador.”

Naquele momento, o marido da professora disse:
- Meu Deus, coitado desse miúdo! Que pais'! E ela olhou-o e respondeu:
- Essa redacção é do nosso filho.

4 comentários:

  1. Manuel,

    Agradeço as visitas em meu Blog, uma honra para mim...adoro tb vir aki te visitar e ler seus assuntos tão interessantes...

    Abraços,

    Reggina Moon

    ResponderEliminar
  2. Olá Dr. Manuel... Já conhecia este texto mas reli esta "composição"...

    Fiquei mais uma vez toda arrepiada! Único meio desta criança poder falar com os pais. E mais triste, é saber que isto acontesse em muitos "lares".

    Infelizmente, a cada dia que passa, sentimos que em vários trabalhos feitos pelos nossos alunos, muitos estão cheios de verdades assustadoras...

    ResponderEliminar
  3. Manuel, boa tarde,

    Quanto ao seu sempre bem vindo comentário, digo que, sim, era o "tempo do poeta", mas ele de certa forma, vem ao nosso encontro, esse tempo a que se o poeta refere...sinto que aproxima-se.

    Abraços,

    Reggina Moon

    ResponderEliminar
  4. Estou um pouco apática por estes dias, mas prometo que me breve conseguirei escrever algo a altura de meus leitores.
    Peço desculpas por ser tão frágil e neste momento estar isolada e triste, mas não consigo ser diferente neste momento.
    Deixo aqui agora um pouco de minha tristeza.
    Prefiro viver cada momento, mesmo que seja triste prefiro viver a tristeza, depois chegará a hora da felicidade e, está será plena como a tristeza.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética