sábado, 18 de agosto de 2012

Fazer uma rubrica e a ligação ao vermelho |                       



caneta.jpgFazer uma rubrica é firmar, fazer uma assinatura reduzida, abreviada ou ainda cifrada num documento. Usa-se também o verbo rubricar. Mas quer rubrica quer rubricar que hoje usamos na linguagem comum escondem uma interessante origem.

Rubrica vem do latim e era o termo que os romanos usavam para designar a cor vermelha. E daí rubro ou ainda ruborizar, ou seja, corar, ficar vermelho.

Mas, por que razão se chama "rubrica" a uma assinatura abreviada e qual é a ligação ao encarnado?

A explicação encontra-se no Direito. Antigamente era obrigatório que os títulos dos capítulos de Direito Civil e Direito Canónico fossem impressos a vermelho, ou seja, a rubrica e daí passaram a designar-se por rubricas os títulos de éditos e capítulos.

Mais tarde este imprimir a vermelho passou também para os livros religiosos e rubrica passou a sinónimo de capítulo.

Ora, segundo Orlando Neves, à semelhança da marcação de capítulo, a cor vermelha passou também a ser usada para assinalar as observações e notas, destacando-se assim das letras impressas a preto. Devido ao carácter abreviado dessas notas, rubrica passou a ter o significado que tem hoje de uma assinatura reduzida, abreviada.

[Do programa da Antena 1, Lugares Comuns, de Mafalda Lopes da Costa]

NOTA: Costuma ouvir-se dizer erradamente (até por responsáveis ministeriais) a palavra "Rubrica" como se tivesse um acento no "u", como se se escrevesse "Rúbrica". A sílaba tónica é "bri" e, por isso, deve pronunciar-se como se escreve, sem acento.

1 comentário:

  1. Manuel, meus cumprimentos pelo blog tão interessante. Arte, literatura e direito são assuntos de que gosto deveras. Qdo puder, sempre estarei por aqui. Sigo-o e espero-o em meu blog para realizarmos esse intercâmbio necessário entre a América e a Europa. Até mais páginas.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética