domingo, 13 de março de 2011

Geração XPTO

E a nova geração saiu à rua.

"O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos ou dos sem ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons".
Martin Luther King

Vicente Jorge Silva, referiu-se aos jovens como "a geração rasca" num editorial no Público, em 1994. Argumentava que os jovens eram irresponsáveis, indisciplinados e individualistas, e não tinham convicções, nem valores, nem princípios, nem sonhos para lutar.
Trata-se de uma visão saudosista e estáctica de quem viu já fugir-lhe a juventude.
Seja como for, os jovens de então íam conseguindo os seus empregos e iniciar os seus percursos.


Porém, os jovens de hoje, especialmente neste contexto de crise económica, não obstante o aumento da escolaridade, têm mais dificuldade em obter emprego e, os que o conseguem, é sempre sob a forma precária e mal remunerada. Daí o epíteto de geração "à rasca".
 
No fundo, tudo não passa de adjectivações que os eternos conflitos geracionais sempre alimentaram. Mas o sonho, esse, ficará eternamente jovem. Ninguém lho pode tirar.

"Pai - Na tua idade, já tinha um ideal!

Filho - E, então, vendeste-o a quem?”
Le Nouvel Observateur

Sem comentários:

Enviar um comentário

Interessante explicação acerca de moral e ética