quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Contrato de Casamento Temporário.

Não. Não se trata de promessa de casamento da filha mais nova da família de Bourbon com o promogénito das Astúrias, nem de qualquer outra família real, de pergaminho ou sangue azul, nem sequer a encomenda entre famílias de etnia cigana.

Trata-se mesmo do Eufemismo, utilizado no Irão, para justificar que os homens possam ter mais do que uma mulher, sem que tal possa ser considerado adultério.

A notícia saiu agora no Correio da Manhã. A segunda (que os ocidentais designam de amante), cansou-se de ser a segunda na relação (contrato temporário) e matou a mulher do matrimónio (contrato definitivo).
Por cá, costuma ser o inverso.
Mas nem sempre, pois contaram-me que uma concorrente do Programa Casa dos Segredos, da TVI, também terminou uma relação com o Pinto da Costa por, igualmente, não gostar de ser a segunda.
Não há dúvida, que ninguém gosta de ser segunda, pois se nem esta que até confessou ser acompanhante de luxo!

3 comentários:

  1. É, verdade, querido...

    Ninguém mesmo gosta de ser a segunda... rsrs

    Tem coisas que não se divide...

    Beijos!!!

    ^^

    ResponderEliminar
  2. É....melhor ser a primeira, sempre !

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Nem a brincar se gosta de ser segundo! Entendido.

    ResponderEliminar

Interessante explicação acerca de moral e ética